quinta-feira, 23 de outubro de 2008

_Quatro meses de sofrimento..._

ANTES

DEPOIS

Mais um dia que passa neste calendário da vida...já lá vão 19 anos, onde guardo boas e menos boas recordações, como tudo. Neste momento vivo um presente triste, com um passado recente igualmente triste...aguardando a incerteza do futuro. Gostava que tudo isto fosse um pesadelo, em que quando acordasse nada disto existisse. Infelizmente, isso não acontecerá. Ignorar não o faço, mas tenho vindo a tentar viver, de forma a que um dia consiga ultrapassar. O certo é que nunca esquecerei tal dor...a dor de ver alguém que amamos, sofrer e nada poder fazer.

É frustrante...revoltante...ver que não podemos diminuir a dor de um ente querido, não um tio...um primo...um avô...mas uma MÃE. Aquela que nos teve dentro de si...que nos amou...que nos viu cresce...aquela que é simplesmente TUDO para nós, e que de um momento para outro...podemos estar em risco de perdê-la. O que fazer nestas situações?!... Já lá vão quase 4 meses de muito sofrimento, não só para ela...mas para todos que a rodeiam, e muito penso...nos dias que passarei sem a sua presença física. Muito penso em todos os momentos que passamos...em tudo aquilo que vivemos. Penso também como serão aqueles dias...em que a sua ausência será mais notada do que nos outros. Refiro-me...ao dia da mãe...dia do seu aniversário...do meu próprio aniversário...Natal...no dia em que acabar o curso... Sinceramente, difícil será escolher um dia em que ela não seja lembrada, não fosse ela minha mãe...a minha mais que tudo. Recordo-me também...daquele beijinho de todas as manhãs, já na pressa da ida para o trabalho, mas que apesar disso...nunca falhava...

São tudo momentos, que nestas alturas vêm aos nossos pensamentos. É triste, muito triste...como de um momento para outro, se passa de TUDO a NADA. Lutamos tanto durante a nossa vida, e num instante...parece que nada faz sentido...e questionamo-nos: "Para que serviu tanta luta...tanto sacrifício?!" Sinceramente...tanta foi a luta e determinação neste caso, ao longo de 42 anos...para possivelmente acabar assim. Acabar no meio de tanta dor...sofrimento...em que por muita que seja a vontade, as forças não chegam para alcançar a vitória.

Como ela própria já mencionou: "vou fechar os olhos, e acaba tudo para mim..." Acabar tudo...e fcar a certeza de que ainda haveria muito para viver...para lutar, para dar, sobretudo para amar. Onde quer que eu esteja...onde quer que eu vá...quem quer que seja a companhia, sentirei sempre a falta de alguém, a TUA. Sempre terei em mim um vazio, mas sempre terei presente o teu sorriso, o teu olhar...toda aquela tua vida, energia que te caracterizava e que todos admiravam.

A tua própria imagem neste momento, "quebra-me" o coração... Recordar a tua imagem e confrontar com aquela que agora "transportas" é arrepiante...agoniante. "Quebra-me" ainda mais o coração, ver o quanto tens sofrido e nada poder fazer para que isso não aconteça.

Custa-me pensar que ao longo da minha vida...em algumas das minhas vitórias que a ti dedicarei, não estarás ao meu lado para me felicitar...para me abraçar. Muitos me dizem, que se este for o teu omento, certamente é porque Deus precisa mais de ti do que nós. Não sei se para atenuar a minha dor, se para me fazerem ver as coisas de outra forma...mas não consigo ver as coisas de tal perspectiva e duvido que algum dia o consiga. Tenho a certeza, que preciso mais de ti...do que Deus para onde quer que ele te leve.

Não sei porque a Vida nos pregou esta partida...nos colocou este obstáculo...mas porquê acabar assim?! Choram de alegria quando chegamos a este Mundo, talvez na hora de partida seria sorrir por tudo aquilo que vivemos e que fomos, mas IMPOSSÍVEL para mim ver as coisas de tal forma.

Por ti continuo a tirar o meu curso, apenas por ti...porque me pediste, e nunca em momento algum esquecerei tais palavras. O meu gosto era largar tudo, suspender...e partir em tua direcção, podendo estar a teu lado e aproveitar aqueles que provavelmente serão os últimos momentos. Pois, sempre me disseram que a pior coisa que poderia acontecer na vida era arrependermo-nos de algo que não fizemos, e nao quero que isso venha a acontecer. Apesar de tudo...continuo com o curso, não com muitas forças, mas com aquelas que ao longo deste tempo ainda te têm dado algumas alegrias.

Desculpa, se algum dia, por vezes esperavas ouvir "gosto de ti...ou adoro-te...", mas tal não aconteceu. Talvez pela minha maneira de ser...mas sei que no fundo acabavas por sentir estas palavras que acabavas por não ouvir. Quero acreditar que um dia nos podemos encontrar num sítio sem tempo e espaço, em que possa "matar" as saudades por ti.

Obrigada por todos estes anos a teu lado, por todo o carinho...por todos os momentos que contigo vivi e que NUNCA em momento algum esquecerei.

AMO-TE Mãe!!!

Joana Carvalho, 13-2-2007










7 comentários:

tibeu disse...

Recordar é viver, fazes bem recordar, deixa-me sempre sem palavras- bj grrrrrrrrrrrr

Anónimo disse...

4 meses d sofrimento k infelizmt continuam até hj mnh amiga,n é? :S.. * * bjos

borboleta isa disse...

nem há palavras para descrever akilo k sentes...
kd me ponho na tua pele a lagrima cai...eu tb não xou ninguém sem ela e o ar k respiro...
tu es uma guerreira um bjx grande sempre k precixarex tou aki pra ti bjx grand

Mello disse...

Já te visitei várias vezes, mas em todas elas fiquei sem palavras...

Força e muitos beijinhos,


Graça Mello

Anónimo disse...

o texto ta lindo! aprecio a naturalidade com que "publicas" a tua vida privada =D.BJO!

Luis Mendes

Fátima disse...

Joana,boa noite!
Entrei no seu blog através do blog da minha colega e amiga Graça.
Li e reli o que escreveu sobre a sua mãe. Que sorte a Joana tem por ser sua filha e ela por ser sua mãe! O carinho e o amor que sente por ela são sentimentos que, tenho a certeza, ela está a senti-los junto dos anjinhos. Sabe, Joana, embora tenha sentido tristeza ao ler o que escreveu, senti uma certa paz. Eu também estou a atravessar um momento muito difícil com a doença de um irmão, mas ainda nao consegui escrever o que me vai na alma e no coração. Penso que agora conseguirei, pois a Joana deu-me força para tal e talvez me ajude.
Joana, desejo-lhe muita força e que consiga suavizar a sua dor recordando os bons momentos que passou com a sua mãe. E, sim, acabe os seus estudos, ela ficará muito contente por saber que a Joana terá um futuro mais risonho por isso. Força!
Beijinho da
Fátima Açriana

analuciana disse...

minha querida,
encontrei o teu espaço por acaso, comecei a ler, li na diagonal apenas e não consegui conter as lágrimas. Infelizmente sei bem o que sentes, e não te vou dizer que passa com o tempo, porque não passa, apenas aprendes a lidar com perda porque a vida tem que continuar. Tens uma coisa que considero muito boa, escreves sobre isso, falas sobre isso, libertas os teus sentimentos e isso alivia o teu coração ajudando-te espero eu, a sentir melhor. Eu não consigo, nunca consegui, é uma coisa muito minha sobre a qual não consigo falar, e assim pesa mais.
Quero deixar-te um beijinho carinhoso para te aconchegar o coração.